Por que morar em Roma?

por que morar em Roma, viver em Roma, viver na italia

Não sei o motivo, mas acho que não existe quem, em sã consciência, que nunca tenha dito que gostaria de visitar a Itália. Vou além: quem, após visitar Roma, não gostaria de viver nessa cidade? Tendo a oportunidade, por que não?

Eu faço parte dessa estatística. O Fe também.

A primeira vez em Roma

A primeira vez que visitamos Roma foi em 2013. Na verdade, nem era para irmos. Foi uma viagem que aconteceu de repente. E seria, inicialmente, para Paris. Mas a vontade de conhecer a Itália era gigantesca. Somos paulistanos, todo mundo que a gente conhece tem ascendência italiana. A gente tem ascendência italiana (ainda que a minha seja beeeem distante). Somos maníacos por massas. Consumidores vorazes de pizzas. Nós falamos com as mãos (ainda que inconscientemente)! E a gente acha a tarantela divertidíssima (quer coisa mais animada?). Então, por que não visitar a Itália? E, na verdade, estando na Europa, COMO não conhecer a Itália?

Como teríamos poucos dias, optamos por ficar apenas seis em Roma. Vínhamos de Paris e ainda tínhamos uma ultra-mega corrida passagem por Londres.

Ficamos hospedados no Termini, apesar de ter ouvido/lido pessoas falando insistentemente que era perigoso (de verdade? Não achei – mas sobre isso falo outro dia). Achamos ótimo, na verdade. Primeiro porque a localização é ótima. Fazíamos tudo a pé. Fomos a todos os pontos turísticos a pé, íamos a bares e restaurantes e voltávamos duas, três horas da manhã. E não tivemos problema algum.

Simplesmente encantados

Não tem com explicar o quanto ficamos encantados com Roma (e suas ruínas, suas histórias, suas belezas). E, por incrível que pareça, é muito difícil explicar o motivo. São tantas obras de arte espalhadas pela cidade, tanta beleza, tanta história. A qualquer momento, você pode virar e dar de cara com um monumento construído em algum ano antes de Cristo. Ou pouco depois de Cristo. Pensar que eles guardam sua história e, mesmo que ela esteja perdida por algum tempo, quando encontram, buscam as origens e deixam pronta para que seja vista e visitada. Isso é muito legal. Essa preservação das origens. A gente não tem isso no Brasil.

Piazza di Spagna, Roma
A Piazza di Spagna (lotada no verão) e antes também da reforma (no ano passado, quando fomos, estava fechada)

Visitamos tudo o que era possível visitar em nosso escasso tempo, com direito a repeteco em alguns locais (alô, Fontana di Trevi).

Fontana di Trevi, Roma,
A Fontana di Trevi, durante nossa primeira visita, pouco antes da reforma, que aconteceu entre 2014 e 2015.

Roma deixou a gente maluco. Claro que conhecemos apenas a parte turística. Mas, pra gente, foi o suficiente. Falávamos que moraríamos lá fácil. Aliás, não teve um dia em que não tenhamos usado essa frase. E não teve uma pessoa para quem não tenhamos dito que moraríamos lá fácil, na volta ao Brasil.

E foi com essa doce e forte lembrança que escolhemos a cidade para ser nosso novo lar.

Nossa segunda visita a Roma

Fomos novamente a Roma em 2016 e já sabíamos que moraríamos na cidade. O Fe foi trabalhar na canonização da Madre Tereza de Calcutá e aquilo funcionou como uma espécie de teste para ele. Como a canonização foi no primeiro dia nosso por lá, aproveitamos os demais dias para pesquisar.

Pegávamos o metro e íamos até a última estação. Descíamos e ficávamos rodando pela região. Andando pelas ruas, sentindo o clima do local, entrando em supermercados, pesquisando preços. Foi uma visita bem objetiva, na verdade. Claro que visitamos vários pontos turísticos, mas nem todos.

piazza di san metro, Roma, Vaticano
A Praça de São Pedro, no dia da canonização da Madre Tereza de Calcutá, por um ângulo diferente

Dessa vez, procuramos um apartamento pelo AirBnb em uma região que ficasse mais afastada da área central (e mais turística). Ficamos em Gianicolense, próximo a Monteverde e Trastevere. E isso foi muito legal porque permitiu que a gente tivesse uma visão diferente da cidade. Estando em um bairro não turístico, pudemos pegar transporte público (virei fã do tram 8, um trenzinho que anda sobre a rua, não pega trânsito, tem ar condicionado, e liga a região de Gianicolense à Piazza Venezia, em frente ao Monumento Vittorio Emanuele II). Pudemos cozinhar, ver como a cidade funciona para os romanos de verdade. Sem aquela história toda de turistas aglomerados, falando em todos os idiomas do mundo.

Coliseu, Roma
A visita ao Coliseu (pra mim, um daqueles passeios que valem cada centavo gasto)

Por que morar em Roma?

Roma é uma cidade linda. Cheia de problemas, se pensarmos em relação às demais capitais europeias. Meio Brasil na Europa. Mas tem tanta história.

E assim, numa mistura de oportunidades e riscos, essa foi a cidade escolhida.

Nossa casa agora fica em Roma. E nela continua tendo vinho. Mas ela agora vai um pouco além. Aos poucos, iremos conhecendo Roma e nos aventurando pela cidade, em busca de novas experiências, de lugares diferentes, de comidas típicas, de pontos imperdíveis. E, desvendando ainda melhor essa cidade, queremos ajudar você a desvendá-la também.

Queremos transformar a nossa nova casa em sua também. Assim, quando você for visitar em Roma, pode antes vir aqui no blog e ler sobre o que a gente experimentou. Queremos ajudar você a entender a cidade e a saber o que visitar e onde comer e beber muito bem.

Ah! E fique à vontade para participar. Toda troca é sempre bem-vinda.

The following two tabs change content below.

chris_samira

Produtora de conteúdo desde 2002. Adora listas, chocolate, viajar e da canina Lili, além do Fe, com quem é casada há quatro anos. É especialista em "jogar no Google" e acha que vinho é uma questão de gosto pessoal (até porque não entende nada do assunto - só de beber mesmo). Vive indecisa quanto ao que deve fazer. Mas não acha que isso seja um problema.

Organize sua viagem para Roma com os serviços do Lá em casa tem vinho 

Desde que eu e o Fê viemos para Roma, resolvemos transformar este blog em um espaço em que pudéssemos dividir as nossas experiências. Diariamente, vamos conhecendo a cidade, aprendendo a viver nela e também mostrando aqui para você. E assim, compartilhando o que a gente vê por aqui, queremos fazer da nossa nova casa, a sua também. Além das dicas e de tudo o que postamos aqui no blog, resolvemos também ir atrás de parceiros que podem ajudar a transformar a sua viagem em uma experiência mais tranquila. A partir de agora, o LÁ EM CASA TEM VINHO te ajuda também a organizar a sua viagem para Roma.

E como a gente pode te ajudar a organizar sua viagem para Roma?

Estamos pensando em diversos aspectos. Mas queremos te oferecer possibilidades de buscar todos os produtos e serviços em um só lugar.
  • Você pode buscar a melhor tarifa de hospedagem seu hotel com nosso parceiro Booking.
  • Busca passagens de trem (e viaja de uma cidade a outra) com a nossa parceira RailEurope.
  • Reservar o seu transfer do aeroporto de Fiumicino (Leonardo da Vinci) ou Ciampino ao Termini e do Termini aos aeroportos com a Terravision.
  • Faz a cotação de seu seguro de viagem, obrigatório para quem visita diversos países europeus, signatários do Tratado de Schengen - inclusive a Itália, com o nosso parceiro SegurosPromo.
  • Compra os ingressos de todos os seus passeios antecipadamente, já se programando e evitando filas, com nosso parceiros GetYourGuide.
  • Podemos ainda acompanhar um dia de passeio e fazer fotos de você e seu grupo. Assim, não vai ter aquela história de ficar pedindo para alguém tirar a foto ou ainda sempre ter alguém do grupo que não aparece nas imagens.
  • Desconto para você visitar uma vinícola perto de Roma.
Confira aqui como a gente pode ajudar a organizar a sua viagem a Roma e os serviços que oferecemos.

6 Replies to “Por que morar em Roma?”

  1. Muito legal. Esperamos mais dicas. Boa sorte em sua nova morada.

    1. chris_samira says: Responder

      Obrigada, tio Paulo! Esperamos conseguir desvendar a cidade aos poucos e contar tudo por aqui.
      Obrigada pela visita! Beijos

  2. Patrícia Brito says: Responder

    Olá Chris … Eu e meu marido estamos pensando ,seriamente,em nós mudar pra Roma. Estamos na fase da pesquisa,enfim,tudo que possa nos ajudar ! Adorei quando encontrei seu blog, afinal vcs tbm estão iniciando uma vida por aí .
    Vc pode me informar ,um pouco mais, sobre o bairro que está morando ?
    Desde já te agradeço

    1. chris_samira says: Responder

      Oi, Patrícia!

      Obrigada pela visita! Nós estamos morando um pouco mais afastado do centro de Roma, mas dentro da cidade ainda. Optamos por isso por diversos motivos. Primeiro porque quanto mais próximo do centro, maior o custo de vida (tanto em relação aos valores de apartamento quanto aos valores das coisas no supermercado). Segundo porque o centro da cidade atrai uma quantidade muito grande de turistas. E ficamos receosos quanto a isso.

      No ano passado, viemos para cá exatamente para começarmos a entender melhor a cidade. Já tínhamos vindo, mas foi uma visita absolutamente turística. Pegamos o metrô e começamos a descer estação por estação. Entrávamos em supermercados, observávamos a vizinhança, os valores, os meios de transportes…

      No ano passado, ficamos em um apartamento na região de Gianicolense, próximo a Monteverde e Trastevere. Essa região é uma delícia, super arborizada, bem servida de transporte (tem o Tram 8, que te leva direto para a Piazza Venezia). Trastevere acho ótimo (porque é um bairro fofo demais, bem romano, te faz sentir na Itália). Mas é também um bairro repleto de turistas. Isso me incomoda um pouco (para viver). Mas Monteverde, não. Acho que ainda é meu bairro preferido.

      Nosso primeiro apartamento em Roma, neste ano, foi próximo ao metrô Cipro (linha A), que fica a uma estação do Vaticano. Também gostamos bastante dessa região. Bem tranquila, menos turística, mais afastada do centro. A única coisa é que tem umas subidinhas boas.

      Atualmente, estamos morando no Quartiere Aurelio, próximo ao Cipro. Olhando no mapa de Roma, ele fica à esquerda do Vaticano. Gosto bastante daqui porque fica muito perto de metrô, é uma região plana e arborizada. Se bem que arborizada não é um grande diferencial, já que toda a cidade é assim. A região onde moro é bem residencial, mas se eu andar dois quarteirões, chego a uma região repleta de supermercados, restaurantes, lojas, feira, escolas, hospitais… Consigo fazer tudo a pé e para o que é mais distante, o metrô está ali do lado.

      Hoje em dia, teria procurado também Pigneto (onde está a estação homônima da linha C, que ainda não tem ligação com as demais, mas acredito que terá até o final do ano). Mas de fato não conheço tantos bairros mais afastados do centro.

      Se precisar de alguma informação mais específica, e eu puder ajudar, fique à vontade para ajudar.

      Abraços,
      Chris

  3. Patricia Brito says: Responder

    Chris,
    Agradeço a sua atenção. Me ajudou muito !
    Preciso de toda ajuda possível … Continuarei seguindo as suas dicas … Fazendo as minhas pesquisas … Se tudo correr bem, acho que chegaremos aí em pleno inverno de 2018.
    Com certeza, precisarei de mais informações .
    Obrigada

    1. chris_samira says: Responder

      Chegamos também no inverno deste ano, mas no final. Recomendo essa época porque você pega o final do inverno e o começo da primavera – o clima é ótimo.

      Pense bem na escolha a cidade. Roma é uma cidade linda, mas é bem grande e bastante burocrática. E com muitos turistas também – o ano topo. Verifique bem quais são os objetivos de vocês antes de escolher.

      Abraços.

Deixe uma resposta