Neve no Chile (em outubro?)

neve no Chile

Sabe aquele lugar para o qual você sempre fala que gostaria de ir, mas acaba ficando lá no fim da sua lista? Esse era o Chile pra mim. Não que eu não quisesse ir, mas sempre tem a Argentina, né? (e eu adoro Buenos Aires! Por mais que tenha tido uma péssima impressão na última vez em que fui).

Mas no ano passado estávamos decididos. Iríamos para o Chile. E no inverno. Férias agendadas para julho, passagens compradas, tudo tranquilo. Era só esperar.

Férias… de inverno?

Assim que reservamos nossas passagens, o Fe já estava saltitante de alegria que iria ver neve. Ok. Saltitante não é a palavra certa. Ele vai até odiar o fato de eu escrever isso. Estava mais para empolgado (talvez ele estivesse saltitante ao pensar nas vinícolas?). Mas não posso falar o mesmo de mim. Julho, inverno, Andes, Chile. O que era o máximo pra ele, não era exatamente pra mim. Ele é do frio, eu do calor. Mas ok. Faz parte da vida conhecer tudo. E uma viagem para um lugar desconhecido não é de se jogar fora, né? Nem tem como ficar chateada com isso.

Nossas férias pro Chile, porém, foram meio enroscados. Sim, estava tudo programado para irmos em julho. Mas algumas semanas depois da compra das passagens, eu pensei em fazer uma prova de concurso (pensei porque desisti logo em seguida) e ia cair muito próximo ao nosso retorno da viagem. Por isso, fui dar uma olhada na impressão da compra. Quando eu peguei as passagens para verificar o horário do retorno… Quase caí pra trás quando vi que elas estavam compradas para juNho. E não juLho. Mas aí já tinham passado algumas semanas.

Perdemos praticamente tudo (cancelar passagem custa uma fortuna!). Como compramos em promoção, e julho é naturalmente mais caro que junho, teríamos que pagar uma diferença absurda.

Segunda tentativa

Tivemos, então, que alterar as nossas férias e acabamos por jogá-las para outubro, mês do nosso aniversário de casamento. Estávamos quase sem ter pra onde ir quando bateu a louca no Fe e ele comprou (de novo!) passagens para o Chile. Mas dessa vez na época certa.

Outubro… mês de neve?

Depois de tudo aquilo, não tinha como não estar empolgada pra ver neve. Eu estava indo pro Chile… como assim não veria?

Fiquei olhando o tempo todo quando terminaria a temporada de inverno. Já que iríamos, nada mais natural do que ir pro Valle Nevado. A beleza da história toda (e foi aí que eu comecei a me empolgar) é que já não estaria tãaaao frio. Só friozinho.

Olhava pelo menos uma vez por semana. Entrava no site do Valle e ficava observando previsão de temperatura, abertura de pistas, e até a transmissão em tempo real. Não que eu fosse esquiar. Bom, até faria uma aulinha se aquilo não custasse uma verdadeira fortuna, principalmente pra quem tem certeza de que não iria conseguir sequer ficar em pé no esqui.

Talvez tenha sido um pouquinho de sorte – ou um presente dos deuses do Olimpo para compensar os percalços do caminho. Não sei o que aconteceu naquele ano, mas a temporada de inverno acabou muitas semanas depois do previsto. Se não me engano, adiaram umas duas vezes. E, para a nossa sorte, o último fim de semana de neve seria o primeiro fim de semana que passaríamos em Santiago. É mole?

Bora ver a neve?

Em Santiago, pegamos um apartamento. Falei que estávamos comemorando nosso aniversário de casamento e pedi um andar alto e com vista para as montanhas. Chegamos lá à noite. No dia seguinte, fazia sol. Eu até abri a janela, mas não vi nada. Sim, era um andar alto, mas não vi nada demais. Cadê a neve no horizonte?

Chile
Fala sério: isso tem cara de Andes pra você? Pra mim, eram só nuvens…

Foi só depois de uns dois dias, com temperatura bem chatinha – e nem um pinguinho de sol – que, para a minha surpresa, quando abri as cortinas da sacada, lá estavam elas, com seus pontos branquinhos no cume. Tão lindas.

Santiago
Ok, na foto não dá pra ver direito (ainda mais porque foi tirada do celular, mas lá no fundo, onde está um formato de morro são os Andes – com o cume com neve – tão lindo!)

É verdade. Neve mesmo, dos floquinhos caindo na sua cabeça, não pegamos. Mas ainda tinha. Claro que não em Santiago. Tivemos que subir as montanhas pra conseguir chegar lá.

Um tour pelas montanhas

Compramos nosso tour em uma empresa que não lembro o nome, mas tem várias unidades espalhadas pela cidade. Compramos na unidade que fica ao lado do Mercado Central (onde comemos a centolla, não teve jeito). Chegamos no local a pé, a partir da Plaza de Armas, mas é ao lado do metrô Cal y Canto).

Nos pegaram no apartamento, por volta de umas 8h da manhã. Seguimos de lá direto para o pé da montanha, em uma loja de aluguel de roupas para neve. Eu peguei uma calça, um par de luvas e botas. O Fe pegou apenas as botas. Minha recomendação: se você não vai esquiar, passe na Decathlon e compre algumas coisinhas (como luvas, uma blusa impermeável, essas coisas. Acaba saindo mais barato do que locar. E, se bobear, você vai gostar o suficiente para usar novamente).

Primeira parada oficial

A partir de lá, seguimos para Farellones, nossa primeira parada. Acho que o mais legal foi ver o Bernese Mountain Dog liiiindo que estava por lá, folgadamente dormindo no meio da galera. Tinha pouquíssima neve, o que, inclusive, me deixou preocupada quanto ao que veríamos.

Farellones

Segunda parada

A segunda parada foi em um ponto mais alto na estrada. Era aquele momento de contemplação. Não estávamos tão no alto. Nem tão no baixo. E já era o começo das curvas absurdamente tortuosas que dominam o local.

Chile, Santiago,neve
Repara que onde a gente está só tem pedras e nada de neve (de vez em quando a gente ainda achava uns pontinhos brancos derretendo), mas lá no fundo…

Terceira parada

O terceiro ponto de parada foi um lugar para brincarmos com a neve. E confesso que se só tivéssemos chegado até aí, teria já valido a pena. Talvez porque eu não tivesse a menor noção de como era pra ser, fiquei completamente encantada. A neve é fofa, mas não da forma como eu imaginei. É de um jeito que faz com que o pé afunde e seja difícil caminhar. É cansativo demais. Mas é muito divertido.

brincando na neve
Os dois bobos brincando na neve

 

boneco de neve
Nossa obra-prima (que até tinha nome, mas esqueci)

Última parada

Nossa última parada foi lá em cima, no Valle Nevado. A primeira coisa a se dizer é que, antes de chegar, a estrada que a gente pega é ridiculamente tortuosa. Muito. Coisa de filme. Coisa de passar mal. Coisa de achar que o ônibus não vai conseguir finalizar a curva dentro da estrada. Muito. É teste.

Segunda coisa. Lá tudo é caro. Isso eu já sabia. Mas foi lá que eu comprei a Coca-cola mais cara da minha vida. Algo em torno de uns R$10. Água e sanduíches tínhamos levado. Optamos por não almoçar no restaurante, que ficava lá em cima (mas tinha uma lanchonete embaixo). Para chegar ao restaurante, teríamos que pegar o teleférico e tentarmos conseguir uma mesa (além disso, já tinham avisado, antes de chegarmos, que não haveria devido ao horário) e se não conseguíssemos teríamos que voltar. Ou seja: não me lembro ao certo, mas era algo em torno de R$50 por pessoa pra pegar o teleférico só pra tentar almoçar. Não ia rolar. Dava pra comer lá embaixo mesmo.

Quem quisesse também, poderia esquiar. A pista estava aberta. Mas nem era esse nosso objetivo (o Fe não pode e eu ia pagar uma fortuna pra não conseguir nem ficar em pé nos esquis. E ainda morrer de vergonha quando estivesse ao lado daquelas criancinhas ridiculamente pequenas dando um pau em mim é uma aula de desenvoltura e agilidade).

Mas deu pra aproveitar. Vimos neve, fizemos nosso boneco de gelo. E eu nem passei tanto frio assim. Foi ótimo. Ah, e eu voltaria de novo.

The following two tabs change content below.

chris_samira

Produtora de conteúdo desde 2002. Adora listas, chocolate, viajar e da canina Lili, além do Fe, com quem é casada há quatro anos. É especialista em "jogar no Google" e acha que vinho é uma questão de gosto pessoal (até porque não entende nada do assunto - só de beber mesmo). Vive indecisa quanto ao que deve fazer. Mas não acha que isso seja um problema.

Organize sua viagem para Roma com os serviços do Lá em casa tem vinho 

Desde que eu e o Fê viemos para Roma, resolvemos transformar este blog em um espaço em que pudéssemos dividir as nossas experiências. Diariamente, vamos conhecendo a cidade, aprendendo a viver nela e também mostrando aqui para você. E assim, compartilhando o que a gente vê por aqui, queremos fazer da nossa nova casa, a sua também. Além das dicas e de tudo o que postamos aqui no blog, resolvemos também ir atrás de parceiros que podem ajudar a transformar a sua viagem em uma experiência mais tranquila. A partir de agora, o LÁ EM CASA TEM VINHO te ajuda também a organizar a sua viagem para Roma.

E como a gente pode te ajudar a organizar sua viagem para Roma?

Estamos pensando em diversos aspectos. Mas queremos te oferecer possibilidades de buscar todos os produtos e serviços em um só lugar.
  • Você pode buscar a melhor tarifa de hospedagem seu hotel com nosso parceiro Booking.
  • Busca passagens de trem (e viaja de uma cidade a outra) com a nossa parceira RailEurope.
  • Reservar o seu transfer do aeroporto de Fiumicino (Leonardo da Vinci) ou Ciampino ao Termini e do Termini aos aeroportos com a Terravision.
  • Faz a cotação de seu seguro de viagem, obrigatório para quem visita diversos países europeus, signatários do Tratado de Schengen - inclusive a Itália, com o nosso parceiro SegurosPromo.
  • Compra os ingressos de todos os seus passeios antecipadamente, já se programando e evitando filas, com nosso parceiros GetYourGuide.
  • Podemos ainda acompanhar um dia de passeio e fazer fotos de você e seu grupo. Assim, não vai ter aquela história de ficar pedindo para alguém tirar a foto ou ainda sempre ter alguém do grupo que não aparece nas imagens.
  • Desconto para você visitar uma vinícola perto de Roma.
Confira aqui como a gente pode ajudar a organizar a sua viagem a Roma e os serviços que oferecemos.

2 Replies to “Neve no Chile (em outubro?)”

  1. Ola!
    Tudo bem?
    Em quais datas vcs foram?
    Eu e minha esposa vamos no dia 06/10.
    Será que vamos ver neve?….

    1. chris_samira says: Responder

      Olá, Levi!

      Obrigada pela visita! Se não me engano, chegamos no Chile no dia 13 de outubro. Mas a visita ao Valle Nevado aconteceu no dia 18 de outubro (no último fim de semana de neve no país, naquele ano). Como eu mencionei no post, aquele ano foi bem atípico. Mas não custa nada a gente torcer muito e ficar acompanhando o site do Valle nevado para ver a previsão do tempo e de abertura das pistas (foi o que a gente fez!).

      Boa sorte e boa viagem!

      abraços,
      Chris

Deixe uma resposta