Coisas que só quem é de São Paulo entende…

são paulo, fatos sobre São Paulo

Tanto eu quanto o Fe nascemos e crescemos em São Paulo. Apesar de ser super urbana, sempre tive vontade de morar no interior, ter uma vida mais tranquila. O Fe, não. Mas confesso que nem sei se isso daria certo. Se eu, sinceramente, aguentaria.

Acho que o que é engraçado sobre São Paulo é que todo mundo acha que conhece a cidade. Pode até ser. Afinal, tem algumas coisas que são óbvias mesmo. Listei aqui algumas curiosidades pra você que começa a conhecer São Paulo.

Praia de paulistano é shopping

Está sem o que fazer em casa? Shopping. Precisa comprar alguma coisa? Shopping. Cinema? Shopping. Supermercado? A gente passa no shopping e compra algumas coisinhas. Sem vontade de fazer almoço? Praça de alimentação do shopping. Ou um restaurante. Mas dentro do shopping (e tem alguns que são ótimos!). O shopping é coringa. E sempre está lotado.

Paulista e Minhocão são o novo shopping

Sim, temos duas novas praias: o Minhocão no fim de semana e, mais recente, a Paulista no domingo.

Discussões políticas à parte, a Paulista fechada no domingo é sensacional. A avenida fica lotada de gente, com músicos e artistas por tudo quanto é lado. Famílias andando de um lado pro outro. É a rua virando do povo, ou voltando ao povo, uma coisa que quase não existe no Brasil (mas que se vê muito fora). E que é muito legal.

Paulistano faz fila pra tudo

E não liga. A gente sabe que haverá sempre muita gente onde quer que estejamos, então vamos organizar uma fila, ok? Pra comprar pão, pegar táxi, passar pela catraca do metrô, entrar na biblioteca da faculdade, pegar frios no supermercado, entrar na escada rolante. Não interessa onde. O que nos remete a outro tópico importante.

Direita e esquerda têm funções

Sim, o uso da direita e da esquerda é super importante. Vá pela direita e volte pela esquerda. Quem está com pressa (e sempre estamos!), agradece.

Paulistano vai à feira

E tem feira todo dia em São Paulo. Tudo é mais barato e ainda dá pra comer pastel com caldo de cana no final. Ou ainda é uma ótima opção para quando se está voltando da balada. A partir das 4h30 já é possível encontrar.

Quer ir ao parque? Tenha certeza de que milhares tiveram a mesma ideia. Ao mesmo tempo.

Parque a partir das 10h é lotado. Qualquer um. Já não temos praia, e shopping só abre às 10h no sábado e à 1h no domingo. O que vamos fazer pra matar tempo (e tomar um solzinho)? Parque. Tem um monte na cidade, mas não interessa pra qual você vá. Depois das 10h, estará sempre lotado. Fila pra entrar no estacionamento, fila pro banheiro, fila pra água de coco. Quer sossego? Chegue às 7h. E o mais legal: esse é o horário das pessoas mais simpáticas, que te falam “bom dia” logo cedo, sem nem te conhecer (algo super raro!).

São Paulo
Fotos: Decio Samezima

Praia de verdade pode, mas não no feriado

Se quiser ir à praia, mas não dar de cara com a cidade de São Paulo lá embaixo, não vá em feriados. A cidade toda desce a serra desesperadamente, louca para chegar logo, colocar um chinelo e um short e ir tomar alguma coisa na praia (no quiosue mesmo, de frente ao mar). Pode ser água de coco, cerveja ou caipirinha. Paulistano desce a serra pra ver mar. E acha um absurdo ouvir de quem é do nordeste dizer que voltou pra cidade-natal e não foi ao mar. Oi? Como assim?

Claro que eu não tenho sotaque

Paulistano acha que todo mundo tem sotaque. E tem certeza que paulistano mesmo não tem. Exceto quem é da Mooca. Aliás, todo mundo acha que todos os paulistanos são da Mooca. Outro devaneio.

Perigosa? Nem tanto.

São Paulo é uma cidade tão perigosa quanto qualquer outra metrópole. Ninguém vai pra rua morrendo de medo de ser assaltado. Só quem definitivamente não conhece a cidade. Lógico que você não vai fica com um Iphone na mão, a bolsa aberta, com a carteira exposta. Assim você chama, né? Mas não é necessário desespero. Apenas algumas precauções. Se a vida fosse esse caos que todo mundo acha que é, não haveria bares, restaurantes e 25 de março por aqui.

Não fala pegando

Paulistano é um povo mais fechado por natureza. A gente não é de falar pegando, dando intimidade à primeira pessoa que aparece. Mas se você nos conquistar, terá amigos fiéis.

Vem aqui em casa

Outra coisa: a gente gosta de ir na casa dos outros e de receber gente em casa. Nada mais paulistano que fazer um encontrinho em casa, com a família, os amigos, com quem quer que seja. A gente marca e vai.

Muito além de compras e restaurantes

Tem muita coisa pra fazer em São Paulo, além de shopping, 25 de março e José Paulino. Não é só porque você está aqui que precisa bancar a sacoleira. Ou então bancar a faminta e só ir atrás de restaurante. Aproveite a cidade de outras formas. Há milhares de pogramações gratuitas, passeios diferentes, feiras, museus, exposições. É só procurar!

Várias opções de passeios a poucos km daqui

Vai ficar um tempo na cidade? Que tal aproveitar para conhecer os municípios vizinhos? Há muitas cidades bem próximas, a até 300km que são cheias de atrações. Você foge do friozinho e ainda conhece lugares diferentes. Ou vai para um lugar ainda mais quente. Basta escolher.

Todos os climas num dia só

E isso é super normal. Talvez a dica mais importante de todas: vai sair de casa? Leve na bolsa: blusa e guarda-chuva. São Paulo tem todas as estações em um dia só. Você amanhece meia-manga, vai almoçar de alcinha, a partir das 16h vai fechando o tempo, garoa (ou cai um temporal) lá pelas 18h, volta a esquentar logo depois pra congelar até o fim da noite. Não é brincadeira. É a realidade paulistana.

Choveu? Ferrou

É fato: São Paulo não sabe lidar com chuva. Os faróis param de funcionar, o trânsito vira mega, os ônibus ficam lotados (e com vidros fechados – pense no calor!), e talvez o metro diminua o ritmo (o que é bem comum), por isso, opte por marcar as coisas depois da chuva (que invariavelmente vai cair exatamente  na sua hora de ir embora – é sempre assim).

Diversidade: a gente se vê por aqui

São Paulo é multicultural, é multirracial, é diversa. Não importa qual seja o seu estilo, você sempre encontrará alguém muito parecido com você em São Paulo. Essa é a beleza da cidade. E, com isso, vem junto a possibilidade de você encontrar milhares de lugares que tenham a sua cara. Dezenas de programas que parecem ter sido feitos pensando em você. E o que é legal para quem vem de fora: diversas oportunidades de reencontrar a sua cultura original ali do lado, na esquina. Porque sempre tem alguém com uma história parecida com a sua. E sempre tem alguém pensando nisso.

São Paulo
Fotos: Thiago Prado

Nossa Senhora do Congestionamento rogai por nós

São Paulo tem trânsito. Fato. Não quer chegar atrasado? Saia mais cedo. Não existe outra opção. Se for pra marcar compromisso na sexta à noite, triplique o tempo. Vai ter trânsito. Não se amole com isso.

Sobrenome Trabalho

Paulistano é workaholic, em sua maioria. E acha isso bonito e necessário. É cultural e muito difícil de ser deixado de lado. Questionável ou não, é assim. E pronto.

Nós pensamos nas crianças também

São Paulo também é feita pra criança. Há diversos restaurantes que pensam nos seus pimpolhos. Há muitas atrações também. E não é só durante as férias.

Ah, as liquidações

As liquidações em São Paulo são sensacionais. E começam antes do término do inverno. E antes do término do verão também. Se você ainda quiser fugir dos grandes centros de compra, visite as avenidas comerciais dos bairros, que contam com lojas com preços fantásticos. A qualidade não é lá grande coisa, mas são roupas ótimas pra “bater”. Falando em comprar, há outlets e brechós incríveis na cidade. E alguns a poucos quilômetros daqui também. Vale a pena pesquisar!

Você vai prestar concurso?

São Paulo não é uma cidade cuja população tenha a cultura de prestar concursos (por pior que seja a crise, ainda tem mais emprego aqui, então as pessoas preferem ficar na iniciativa privada). Por isso, toda vez que tem prova pela cidade é possível encontrar uma invasão de gente de fora, em especial quem é do Nordeste. Mas saiba: a cidade vai ficar uma loucura (na região das provas). Principalmente se for prova de grandes tribunais.

São Paulo tem muito hotel

Por mais que haja um grande evento acontecendo por aqui, dificilmente você ficará sem quarto disponível. Pode ficar com hotel longe, mas sempre haverá hotel, fique tranquilo.

O Natal é lindo, mas depende

O Natal em São Paulo é lindo. Bom, depende do ano. Já faz uns dois ou três que lojistas e a própria prefeitura abandonaram a onda dos enfeites. Mas como amante de Natal, eu gosto em qualquer ano. O único problema é o trânsito, que fica ainda mais caótico nessa época. Não deixe de ir ao Parque do Ibirapuera, Avenida Paulista e as grandes avenidas iluminadas, cheias de luzinhas. Um espetáculo. Mas tudo também depende da crise (ou a ausência dela).

Já o Reveillón…

O Reveillón em São Paulo não é muito interessante. Exceto se você quiser se aventurar na Paulista (o que eu não aconselho – muita gente, banheiro químico e shows bem meia boca) ou em uma grande ceia em hotel (o que eu recomendo, mas prepare-se para deixar algumas centenas de reais).

A beleza por trás da selva de pedra

São Paulo tem um tipo de beleza diferente. Não é aquela coisa naturalmente bonita, mas tem o seu jeito. Mas é preciso buscar o ângulo certo. E se esforçar um pouquinho. Depois de um tempo, você vai acabar enxergando.

Ame-a ou deixe-a

Acredito que haja uma relação forte de amor e ódio. Quem gosta da cidade, ama. Quem não gosta, odeia. E não vê a hora de ir embora. Mas já ouvi muitos gente que foi embora que morreu de saudades depois.

(Por fim…) O nome é São Paulo

É o último item, mas poderia ser o primeiro também. Mas é regra básica, objetiva e direta:  paulistano que é paulistano não chama a cidade de Sampa. É São Paulo, nome composto. Se falar o nome curto tenha certeza de que a pessoa não é daqui.

The following two tabs change content below.

chris_samira

Produtora de conteúdo desde 2002. Adora listas, chocolate, viajar e da canina Lili, além do Fe, com quem é casada há quatro anos. É especialista em "jogar no Google" e acha que vinho é uma questão de gosto pessoal (até porque não entende nada do assunto - só de beber mesmo). Vive indecisa quanto ao que deve fazer. Mas não acha que isso seja um problema.

Organize sua viagem para Roma com os serviços do Lá em casa tem vinho 

Desde que eu e o Fê viemos para Roma, resolvemos transformar este blog em um espaço em que pudéssemos dividir as nossas experiências. Diariamente, vamos conhecendo a cidade, aprendendo a viver nela e também mostrando aqui para você. E assim, compartilhando o que a gente vê por aqui, queremos fazer da nossa nova casa, a sua também. Além das dicas e de tudo o que postamos aqui no blog, resolvemos também ir atrás de parceiros que podem ajudar a transformar a sua viagem em uma experiência mais tranquila. A partir de agora, o LÁ EM CASA TEM VINHO te ajuda também a organizar a sua viagem para Roma.

E como a gente pode te ajudar a organizar sua viagem para Roma?

Estamos pensando em diversos aspectos. Mas queremos te oferecer possibilidades de buscar todos os produtos e serviços em um só lugar.
  • Você pode buscar a melhor tarifa de hospedagem seu hotel com nosso parceiro Booking.
  • Busca passagens de trem (e viaja de uma cidade a outra) com a nossa parceira RailEurope.
  • Reservar o seu transfer do aeroporto de Fiumicino (Leonardo da Vinci) ou Ciampino ao Termini e do Termini aos aeroportos com a Terravision.
  • Faz a cotação de seu seguro de viagem, obrigatório para quem visita diversos países europeus, signatários do Tratado de Schengen - inclusive a Itália, com o nosso parceiro SegurosPromo.
  • Compra os ingressos de todos os seus passeios antecipadamente, já se programando e evitando filas, com nosso parceiros GetYourGuide.
  • Podemos ainda acompanhar um dia de passeio e fazer fotos de você e seu grupo. Assim, não vai ter aquela história de ficar pedindo para alguém tirar a foto ou ainda sempre ter alguém do grupo que não aparece nas imagens.
  • Desconto para você visitar uma vinícola perto de Roma.
Confira aqui como a gente pode ajudar a organizar a sua viagem a Roma e os serviços que oferecemos.

Deixe uma resposta